Assistente de Arqueólogo/a

< voltar à lista
Condições de Admissão

- Idade: ≥ 23 anos
- Habilitação escolar: 9º ano de escolaridade (mínimo)
- Situação face ao emprego: Desempregados/as

Tipologia

Objetivos

A conclusão do curso com aproveitamento confere um diploma de equivalência ao Ensino Secundário (12º ano de escolaridade) e o nível 4 de formação em Assistente de Arqueólogo/a.


No final do curso os/as formandos/as ficarão aptos/as a:

- Observar, recolher e organizar, em pesquisa de campo, através de técnicas de prospeção e escavação, o levantamento de estruturas e espólios de uma determinada cultura.
- Executar trabalhos de levantamento topográfico, incluindo quadriculagem do terreno, recolha de dados altimétricos e planimétricos, e respetivo tratamento gráfico.
- Executar trabalhos de levantamento e análise cartográfica, incluindo localização, delimitação e georeferenciação de monumentos e sítios arqueológicos.
- Executar trabalhos de desenho arqueológico de estruturas (alçado e plantas), materiais e sequências estratigráficas, desde o levantamento de campo e de registo em gabinete até ao tratamento gráfico.
- Registar fotograficamente sítios, estruturas e materiais arqueológicos, através da utilização de equipamentos e técnicas de registo, edição, tratamento e arquivo.
- Elaborar documentação e relatórios de coleções de bens arqueológicos.

Duração

2145 horas

Código do Curso / Código UFCD

225021_EFA NS

Saídas Profissionais

Assistente de Arqueólogo/a - é o/a profissional que executa, sob a orientação de um/a Arqueólogo/a, ações conducentes à investigação, registo, análise e conservação de sítios e materiais arqueológicos, através da utilização de equipamentos e aplicação de técnicas necessárias para a execução de trabalhos de escavação, prospeção, topografia, cartografia, desenho, fotografia, conservação e restauro de bens arqueológicos.

Área de Formação

História e Arqueologia

Síntese programática
  • Módulo
  • Carga Horária

Portefólio Reflexivo de Aprendizagens 85 horas

Os/as formandos/as elaboram o seu PRA (Portefólio Reflexivo de Aprendizagens) com base nas aprendizagens desenvolvidas ao longo da formação, devendo o mesmo refletir e evidenciar o processo de formação do individuo, congregando os trabalhos e reflexões realizados no âmbito do seu percurso formativo, enquanto conjunto planeado, organizado e selecionado de documentos.

Liberdade e responsabilidade democráticas 50 horas

•Compromisso Cidadão/Estado
•Direitos, liberdades e garantias dos trabalhadores
•Democracia representativa e participada
•Comunidade global

Processos identitários 50 horas

•Fundamentação dos princípios de conduta na relação com “o outro”
•Papel da deontologia na construção de uma cultura organizacional
•Políticas públicas de inclusão
•Uma nova identidade europeia em construção: o papel da multiculturalidade e da diversidade

Deontologia e princípios éticos 50 horas

•Princípios fundamentais da ética
•Códigos de ética e padrões deontológicos
•Ética e desenvolvimento institucional
•Comunidade Global

Redes de informação e comunicação 50 horas

•Aspectos socio-económicos do desenvolvimento e da implementação das tecnologias da informação e da comunicação
•Elementos tecnológicos centrais que estruturam o funcionamento dos sistemas de informação e comunicação
•Conhecimentos científicos e matemáticos fundamentais para a compreensão e boa utilização das tecnologias da informação e da comunicação

Modelos de urbanismo e mobilidade 50 horas

•Processos de mudança fundamentais na geografia das populações, em particular, os intensos fluxos de migração, emigração e imigração que ocorreram no território português, desde o início do século XX
•Princípios psicológicos associados à integração e bem-estar, com enfoque nos contextos de desenvolvimento e nos processos de mudança de meio envolvente
•Conceitos fundamentais nos processos de construção do espaço de vivência (arquitetura) e de ordenamento do território
•Princípios físicos na organização e gestão do espaço habitável

Sociedade, tecnologia e ciência - fundamentos 50 horas

•Conceitos nucleares para a compreensão e desenvolvimento dos vários ramos das ciências
•Aspectos metodológicos elementares da ciência enquanto prática social e modo específico de produção de conhecimento
•Processos através dos quais a ciência se integra e participa nas sociedades
•Compreensão dos processos e conhecimentos científicos como base de um novo tipo de cultura e de desenvolvimento social

Cultura, comunicação e média 50 horas

•Novas formas e expressões de Cultura: evolução e impacto social das tecnologias de informação e comunicação
•Construção linguística da intervenção cultural e comunicacional com recurso às tecnologias de informação e comunicação
•Os média e a alteração dos processos de comunicação, intervenção e participação pública

Culturas de urbanismo e mobilidade 50 horas

•Questões culturais que envolvem o planeamento e o ordenamento do território
•A Língua como suporte indispensável à gestão e à intervenção no urbanismo e na mobilidade
•A Comunicação nos processos contemporâneos de mobilidade humana e intervenção urbanística

Fundamentos de cultura língua e comunicação 50 horas

•Uma Cultura de programação: trajetos pessoais e mudança social
•A Língua e a Literatura portuguesas no mundo como elementos de união e intervenção cívica
•Os sistemas de Comunicação na expressão do pensamento crítico, na construção da relação entre a opinião pessoal e a opinião pública

Língua estrangeira - iniciação - Inglês 50 horas

•Competências de interpretação
◦Ouvir/Ver
- Compreensão de textos simples, breves e claros relacionados com aspetos da vida quotidiana e/ou com as áreas de interesse dos adultos
- Compreensão das ideias gerais de um texto em língua corrente sobre aspetos relativos aos tempos livres, bem como a temas atuais e assuntos do interesse pessoal e/ou profissional dos adultos, quando o discurso é claro, pausado e adequado ao seu nível linguístico
- Compreensão do conteúdo informativo simples de material audiovisual (entrevista, conversa telefónica, conversa informal entre pares, outros)
◦Ler
- Compreensão de textos curtos e simples sobre assuntos do quotidiano, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Detecção de informação previsível concreta em textos simples de uso comum (conversa telefónica, entrevista, outros)
- Compreensão de textos simples em língua corrente sobre assuntos do quotidiano e relacionados com as áreas de formação e/ou atividade profissional dos adultos
- Percepção de acontecimentos relatados, assim como sentimentos e desejos expressos
- Comunicação em situações do quotidiano implicando troca de informação simples e direta sobre assuntos e atividades correntes, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Participação em conversações curtas, com recurso a vocabulário circunscrito, sem necessidade de sustentar, aprofundar ou prolongar os diálogos
- Participação, com preparação prévia, em conversas simples sobre assuntos de interesse pessoal ou geral da actualidade
•Competências de produção
◦Falar/Escrever
- Uso de frases simples e curtas para falar da família, dos outros e do seu percurso pessoal, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Produção, simples e breve mas articulada, de enunciados para narrar, descrever, expor informações e pontos de vista
- Comunicação em situações do quotidiano que exigem apenas troca de informação simples e direta sobre assunto e atividades correntes
- Participação em conversações curtas, com recurso a vocabulário circunscrito, sem necessidade de sustentar, aprofundar ou prolongar os diálogos
- Participação, com preparação prévia, em conversas simples sobre assuntos de interesse pessoal ou geral da actualidade
- Escrita de textos curtos e simples relacionados com aspetos da vida quotidiana
- Escrita de textos simples e estruturados sobre assuntos conhecidos e do seu interesse
- Intervir tendo em conta que os percursos individuais são afetados pela posse de diversos recursos, incluindo competências ao nível da cultura, da língua e da comunicação
- Agir em contextos profissionais, com recurso aos saberes em cultura, língua e comunicação
- Formular opiniões críticas mobilizando saberes vários e competências culturais, linguísticas e comunicacionais
- Identificar os principais fatores que influenciam a mudança social, reconhecendo nessa mudança o papel da cultura, da língua e da comunicação.

Língua Estrangeira - continuação - Inglês 50 horas

•Competências de interpretação
◦Ouvir/Ver
◦Ler
•Competências de produção
◦Falar
◦Escrever

Técnicas de investigação arqueológica 25 horas

•Arqueologia
◦Disciplina e ciência
◦Actividade profissional
◦Património
•Escavação arqueológica
◦Sítios e vestígios arqueológicos
- Processos de formação e caracterização
◦Níveis de escavação
- Salvamento
- Investigação
- Preservação
•Preparação da intervenção arqueológica
◦Organização e logística
- Material necessário
◦Levantamento gráfico
◦Levantamento fotográfico
◦Levantamento topográfico
•Metodologia da escavação arqueológica
◦Reconhecimento do sítio arqueológico
◦Processos e estratégias de escavação
- Montagem de quadrículas
- Escavação
- Identificação de estruturas arqueológicas e sequências estratigráficas
- Recolha de espólio arqueológico
◦Registo da intervenção arqueológica no campo
- Estratigrafias
- Estruturas
- Espólio

Cultura material em arqueologia 25 horas

•Origem e evolução do Homem: o processo de hominização
•O Paleolítico
◦Desenvolvimento tecnológico e evolução das estratégias de subsistência das primeiras sociedades humanas
◦As mais antigas sepulturas e as primeiras manifestações artísticas
•O Epipaleolítico / Mesolítico
◦Caçadores recolectores pós-glaciários
◦Aproveitamento das novas condições ambientais
•O Neolítico
◦O aparecimento da economia de produção
◦A emergência do Fenómeno Megalítico
•O Calcolítico e a Idade do Bronze
◦Das primeiras sociedades metalúrgicas ao desenvolvimento das principais civilizações
•Proto-história de Portugal: assimetrias entre o norte e o sul de Portugal
◦A cultura Castreja no Norte e Centro de Portugal
◦As comunidades do Ferro no sul do País de influência orientalizante e mediterrânica
•O domínio Romano em Portugal
◦Especificidades da cultura material
- Da cerâmica comum, à cerâmica de luxo passando pela cerâmica de construção
- Vidros, metais, numismática e ourivesaria

Contextos específicos em arqueologia 25 horas

•Arqueologia Urbana
•Arqueologia em contextos funerários
•Arqueologia Náutica e Subaquática
•Arqueologia Mineira
•Arqueologia Industrial
•Acompanhamento Arqueológico
•Etno-Arqueologia

Instrumentos e metodologias de trabalho em arqueologia 50 horas

•Métodos de trabalho em arqueologia
◦Pesquisa bibliográfica
◦Prospecção
◦Cartografia
◦Escavação
◦Estratigrafia
◦Registo gráfico
◦Registo fotográfico
◦Métodos de datação
- Métodos de datação absoluta
- Métodos de datação relativa
- A recolha de elementos arqueológicos passíveis de datação absoluta
•O registo em arqueologia
◦Cartográfico
◦Topográfico
◦Fotográfico
◦Gráfico
◦Áudio e Vídeo.
•Registo escrito
◦Fichas de registo arqueológico
◦Caderno de campo
◦Relatório de intervenção
•Os diferentes tipos de estações arqueológicas
◦Evolução cronologico-cultural
◦Tipos de habitat
◦Práticas funerárias
◦Outros vestígios arqueológicos.
•Características de implantação dos vestígios arqueológicos e materiais associados.
•Síntese de uma intervenção arqueológica:o relatório
◦Finalidade do relatório e interpretação dos dados arqueológicos
◦Metodologia e regras de elaboração de um relatório arqueológico
- Estrutura
- Redacção
- Citações bibliográficas
- Apresentação
•Publicação de um trabalho arqueológico
•Sítios arqueológicos e sua gestão post-intervenção
◦Manutenção
◦Conservação
◦Restauro
◦Valorização
- Musealização
- Centros interpretativos
- Percursos de visitas
- Painéis explicativos
- Percursos guiados
- Materiais de apoio ao visitante
- Sistemas Áudio e Vídeo
- Guias, roteiros e outros materiais de divulgação
- Publicações de índole científica

Métodos e técnicas de prospecção arqueológica 25 horas

•Conceito de Prospeção Arqueológica
•Trabalho de gabinete
◦Cartografia
◦Bibliografia
◦Toponímia
◦Orografia e Hidrografia
◦Etnografia, lendas e tradições
◦Estereofotogrametria
•Prospeção de campo
◦Prospeção intensiva / extensiva
◦Prospeção individual / em equipa
◦Prospeção seletiva / sistemática
◦Recolhas de superfície
•Indicadores da presença de vestígios arqueológicos
◦Composição dos solos e observações estratigráficas
◦Relevo e Geologia
◦Coberto vegetal e uso do solo
◦Alinhamentos, rede viária e regime de propriedade
◦Construções e povoamento
•Condicionantes da eficácia da prospeção arqueológica
•Material indispensável às ações de prospeção de campo
•Informação a recolher no âmbito da prospeção de campo
•Alguns exemplos de fichas de registo para ações de prospeção arqueológica
•Avaliação dos resultados da prospeção arqueológica

Trabalho de campo em prospeção arqueológica 50 horas

•Cartas e inventários arqueológicos
◦Processo de elaboração
◦Tipos de cartas arqueológicas
◦Esquemas e componentes de uma carta arqueológica
◦Apresentação final
•Fotografia aérea
◦Estratégias de análise
◦Elementos reconhecíveis
◦Identificação de potenciais sítios arqueológicos
•Prospeção geofísica
◦Metodologias de prospeção geofísica
- Métodos eléctricos
- Métodos magnéticos
- Métodos electro-magnéticos
- Métodos sísmicos
- Métodos gravimétricos
•Prospeção em meio subaquático: uma primeira abordagem
•Prospeção no âmbito dos Estudos de Impacte Ambiental
◦Situação de referência
◦Análise de Impactes
◦Medidas de minimização
◦Normalização de critérios

Estratigrafia arqueológica 50 horas

•Conceito de Estratigrafia: origens e evolução
•Estratigrafia geológica: princípios básicos
•Estratigrafia arqueológica: princípios básicos
•O processo de estratificação arqueológica
◦Noções de sedimentação, deposição, erosão, infiltração
◦Fatores humanos e fatores naturais
•A estratigrafia na investigação arqueológica: breve síntese histórica
•A estratigrafia no registo arqueológico
◦Planos e Secções
◦Sincronia e Diacronia
◦Contemporaneidade, anterioridade e posterioridade
◦Datação relativa e datação absoluta
◦Estratigrafia “real” e estratigrafia “artificial”
•Terminologia estratigráfica
◦Estratos
◦Camadas
◦Níveis
◦Fases
◦Períodos
◦Complexos
◦Unidades
•Conceito e uso de unidades estratigráficas na investigação arqueológica
◦Matriz de Harris
•Exemplos práticos de análise estratigráfica
◦Definição de unidades
◦Relações de tempo
◦Construção de matrizes

Cartografia arqueológica 50 horas

•Noções de Cartografia
◦Evolução da representação gráfica cartográfica
◦Cartografia moderna
- Definições
- Objectivos
- Representação do território
- Escala
- Extensão
- Sinais representativos convencionais
•Mapas e Cartas
◦Cartografia de base
◦Cartografia temática
◦Referenciação cartográfica segundo os diversos sistemas de coordenadas
◦Coordenadas relativas e absolutas
◦Curvas de nível
◦Cotas e altimetrias
•Noções de projeção e geometria
•Sistemas da referência: meridianos e paralelas
•Sistemas de projeção
•Simbologia Cartográfica e escalas de medida
•Aplicação temática
•Desenho Cartográfico Arqueológico assistido por computador
◦Metodologia de conversão de cartografia: Papel – Digital – Vectorial
◦Metodologias de representação de desenho cartográfico
◦Noções básicas de desenho e sistemas CAD
◦Sistema de coordenadas em desenho assistido por computador
◦Comandos básicos
- Desenho
- Edição
- Visualização
- Propriedades e utilitários
- Criação de objetos gráficos
- Escala
- Layers
- Simbologia
◦Comandos avançados de construção e edição
- Layers
- Edição de texto
- Modificar propriedades de objetos
- Criar propriedades de objetos
◦Técnicas avançadas em 2D
- Tramas
- Dimensionamento e Cotagem
◦Impressões
◦Configurações
◦Personalização do Sistema

Análise de materiais arqueológicos 50 horas

•Espólio arqueológico
◦Tipos de depósito
◦Análise espacial do habitat a partir do registo de materiais
◦Identificação cultural a partir dos espólios arqueológicos
◦Inventariação analítica e tipológica
◦A importância da Arqueometria em Arqueologia
•Material lítico
◦Processos e técnicas de fabrico
◦Metodologias de inventariação e registo
•Cerâmica e vidro
◦Processos e técnicas de fabrico
◦Condições de depósito e recolha
◦Metodologias de inventariação e registo
◦Ceramologia
•Metais
◦Processos e técnicas de fabrico
◦Condições de depósito e recolha
◦Metodologias de inventariação e registo
◦Metalografia
•Ossos
◦Condições de depósito e recolha
◦Metodologias de inventariação e registo
◦Antropologia e Osteologia
•Pólenes, carvões, sementes e fosfatos
◦Processos de recolha e registo
◦Breve referência às disciplinas específicas de análise de materiais
- Palinologia
- Antracologia
- Paleocarpologia
- Sedimentologia
- Paleoestomatologia

Análise de estruturas arqueológicas 25 horas

•Formas e funções das estruturas através dos tempos
◦Estruturas de habitação
◦Estruturas de tumulação (sepulturas e necrópoles)
◦Estruturas de fruição (espaços e edifícios públicos e privados)
◦Estruturas de circulação (corredores, passagens, caminhos, vias)
◦Estruturas defensivas (muralhas, fossos e paliçadas)
◦Estruturas de cariz simbólico e/ou religioso
◦Estruturas hidráulicas (captações, canalizações, drenos, esgotos, poços)
•Construção de estruturas
◦Trabalhos prévios
- A escolha dos terrenos
- Topografia
- Hidrografia
- Disponibilidade de matérias-primas
- Orientação solar e ventos dominantes
- Alicerces e negativos de assentamento
- Valas de fundação
- Enrocamentos e nivelamentos
- Aterros e desaterros
- Reforços e contrafortagens
- Ventilações e drenagens
- Circulação do ar
- Circulação de águas
◦Materiais e técnicas de construção
- Técnicas de construção
- Materiais de construção
- Pedra
- Terra
- Adobe
- Tijolo
- Aparelhos de construção
- Tipos
- Cronologias
- Funções
◦Acabamentos e trabalhos finais
- Pavimentos
- Revestimentos
- Coberturas
•Reconstrução, abandono e destruição de estruturas
◦Níveis de utilização, reutilização, abandono, derrube e destruição
◦A redefinição de espaços e a reconstrução de estruturas: análise em planta e em alçado
◦A degradação dos pavimentos, a queda das coberturas, o derrube das estruturas e a sedimentação dos espaços de ocupação

Legislação em Arqueologia e Património 25 horas

•Estabilização jurídica do Património Cultural
◦A “Constituição Cultural”
◦Orientações Internacionais e Europeias
•Conceito de Património Cultural
•Finalidades da proteção e salvaguarda do Património Cultural
•Agentes de salvaguarda
•A política do Património Cultural
◦Princípios gerais
◦Aplicação
•Dos Bens Culturais e das Formas de Proteção
◦Inventariação – conceito e função
◦Classificação
◦Conceito operativo
◦Categorias e graus
◦Disciplina jurídica
- Administração consultiva – pareceres vinculativos e direitos de preferência
- Intervenção qualificada
- Zonas de proteção
- Incentivos e benefícios
•Património Edificado como componente cultural do território – O planeamento territorial
•Formas e regime de proteção do Património Arqueológico
•Regime sancionatório do Património Cultural

Atividades complementares na investigação arqueológica 25 horas

•Novas tecnologias aplicadas à Arqueologia
•Necessidades emergentes do mercado de trabalho
•Experiências inovadoras no campo da Arqueologia
•Avanços científicos recentes no domínio da investigação arqueológica
•Projetos exemplares no domínio da investigação, conservação e valorização de sítios arqueológicos

Projeto de investigação em arqueologia 50 horas

•Perfil de desempenho do Assistente de Arqueólogo
•Projecto de Investigação em Arqueologia
◦Ética e deontologia profissional
◦Selecção de temas e definição de âmbito
◦Definição de objectivos
◦Caracterização de tarefas
◦Identificação de problemas e prioridades
◦Planificação e calendarização do trabalho
•Redacção de relatórios
◦Estrutura
◦Desenvolvimento
◦Pesquisa bibliográfica
- Conselhos práticos
- Critérios de consulta
- Normas de citação
◦Avaliação de resultados
◦Formas de apresentação
◦Preparação da defesa pública
•Situações de aprendizagem / Avaliação
◦Redacção de índices
◦Criação de notas de consulta bibliográfica, sínteses e recensões
◦Registo de citações bibliográficas e documentais
◦Elaboração de planos de trabalho e respetivas calendarizações
◦Criação de modelos de apresentação de resultados
◦Documentos
- Electrónicos
- Escritos
- Gráficos
- Cartográficos
- Fotográficos
◦Uniformização gráfica e aperfeiçoamento estético
•Simulação de situações de avaliação pública
◦Postura e atitude
◦Actos públicos de comunicação
◦A técnica e a tecnologia ao serviço da comunicação

Técnicas de inventário de património cultural 25 horas

•Objecto
◦Património Material
◦Património Imaterial
•Objectivos
◦Investigação
◦Preservação
◦Divulgação
◦Gestão
•Metodologias
◦Pesquisa de informação
◦Recolha de informação
◦Organização de informação
◦Tratamento de dados
◦Análise de dados
◦Registo de dados
•Aplicações informáticas
◦Sistemas de Gestão de Bases de Dados

Técnicas de registo em arte rupestre 25 horas

•Arte Rupestre
◦Conceito
◦Formas
◦Contextos e condições
◦Suportes e técnicas usadas na sua criação
◦Métodos de registo
- Moldagem
- Frotagem
- Decalque directo
- Decalque indirecto
- Fotografia
- Estereofotogrametria
•Epigrafia
◦Conceito
◦Formas
◦Contextos e condições
◦Suportes e técnicas usadas na sua criação
•Técnicas de redução e preparação de desenhos para publicação
•Aplicação de programas de desenho vectorial

Desenho de estruturas arqueológicas 25 horas

•Origem e evolução do desenho arqueológico
◦O romantismo dos séc. XVIII e XIX
◦A cientificidade do séc. XX
◦As novas tecnologias do séc. XXI
•O desenho técnico como instrumento científico na Arqueologia
◦Papéis e películas para desenho
◦Canetas
◦Compassos
◦Lapiseiras
◦Escantilhões
◦Réguas e esquadros
◦Hardware e software
◦Formatos de papel
◦Legenda de desenhos
◦Espessamento de linhas
◦Escalas gráficas e numéricas
◦Diagramas Norte
◦Representação de vistas
•Resolução de triângulos
◦Aparelhos topográficos
•Projecção ortogonal
◦Localização bidimensional de pontos
◦Triangulação
◦Simbologia
•Representação de vistas: Método Europeu versus Americano
◦Cortes e secções
◦Espessamento de traços
◦Legendas
◦Escalas gráficas e numéricas
◦Representações de diâmetro

Desenho de estratigrafia arqueológica 25 horas

•Registo de estratigrafia vertical
•Registo de estratigrafia horizontal
•Tintagem e vetorização como meios de finalização gráfica
•Articulação com as oficinas tipográficas

Desenho arqueológico de edifícios 25 horas

•Desenho arqueológico versus desenho arquitectónico
•O desenho arqueológico como instrumento científico na análise estrutural e arquitetónica de um edifício
•Desenho de elementos arquitetónicos como método de estudo e reconstituição de edifícios

Desenho arqueológico de materiais cerâmicos 50 horas

•Formas gerais básicas
◦Forma fechada
◦Forma aberta
◦Forma cilíndrica
•Elementos constituintes
◦Secção
◦Vista interior
◦Corte
◦Eixo
◦Vista exterior
◦Perfil
◦Plano de abertura
◦Inflexões
◦Plano de base
•Desenho arqueológico de materiais
◦Desenho completo
- Medidas básicas fundamentais
- Projecção ortogonal
◦Desenho parcial
- Identificação do fragmento
- Definição do diâmetro
◦Decoração
- Fonte de incidência de luz
- Vista em plano e projecção
◦Desenho de asas e pés
•Hardware e software indicados para o bom desempenho do tratamento gráfico de materiais cerâmicos
•Tintagem por computador como meio de finalização gráfica

Desenho arqueológico de objectos 50 horas

•Representação de vistas de objetos: Método Europeu versus Americano
◦Cortes e secções
◦Espessamento de traços
◦Legendas
◦Escalas gráficas e numéricas
◦Representações de diâmetro
•Desenho de objetos
◦Projecção ortogonal
◦Orientação do objecto
•Representação de objetos
◦Secção
◦Traço
◦Pontilhado
◦Fonte de incidência de luz
◦Decoração
- Incisa
- Estampada
- Gravada
- Plástica
•Hardware e software indicado para o bom desempenho do tratamento gráfico de objetos de metal, osso, madeira e outros
•A tintagem por computador como meio de finalização gráfica

Desenho arqueológico de materiais líticos 25 horas

•Representação de vistas de materiais líticos: Método Europeu versus Americano
◦Cortes e secções
◦Espessamento de traços
◦Legendas
◦Escalas gráficas e numéricas
◦Representações de diâmetro
•Desenho arqueológico de materiais líticos
◦Orientação do objecto
- Eixo morfológico
- Eixo transversal
- Eixo de talhe
•Representação de materiais líticos
◦Contorno dos retoques e nervuras nas rochas de grão muito fino (sílex, calcedónia)
◦Pontilhado
◦Fonte de incidência de luz
◦Traço contínuo em linhas paralelas ou concêntricas
•O hardware e software indicado para o bom desempenho do tratamento gráfico de materiais líticos
•A tintagem por computador como meio de finalização gráfica

Tratamento gráfico de desenho arqueológico 50 horas

•O tratamento gráfico como veículo de comunicação
◦Conhecimentos transmissíveis por grafismo
◦Tratamento gráfico como linguagem auxiliar dos registos fotográficos e textuais
•A adaptação a novas situações das diferentes ferramentas de tratamento gráfico
•Articulação com as oficinas tipográficas
◦Novas tecnologias na área tipográfica
◦Competências e ética na relação desenhador - tipógrafo

Sistemas de informação geográfica - arqueologia 25 horas

•Conceitos básicos de SIG
•Noções de sistemas de projeção cartográfica
•Introdução do software SIG adaptado ao tratamento de dados arqueológicos
•Tratamento de bases de dados aplicadas à arqueologia
•Vectorização de entidades pontuais, lineares e áreas
•Manipulação integrada de dados alfanuméricos e geográficos no trabalho arqueológico
•Construção de mapas temáticos

Matemática aplicada à topografia 25 horas

•Trigonometria
◦Generalização da noção de arco e da noção de ângulo
◦Funções trigonométricas: Seno, Co-seno, Tangente e Co-tangente de um ângulo
◦Círculo trigonométrico: estudo das funções trigonométricas
•Geometria analítica plana
◦Representação de pontos
◦Relações entre dois pontos

Técnicas de registo em cartografia arqueológica 25 horas

•Projecções cartográficas
◦Superfícies de referência
- Campo gravítico
- Geóide
- Elipsóide
- Esfera
- Plano
◦Transformação de coordenadas
◦Cartografia nacional
- Data geodésicos nacionais
•Cartas topográficas
◦Noção de cartas e plantas topográficas
◦Representação da informação topográfica
- Hipsográfica
- Hidrográfica
- Cobertura vegetal
- Cobertura artificial
◦Representação planimétrica
- Noção de escala
- Convenções cartográficas
◦Representação do relevo
- Formas elementares do relevo
•Trabalhos sobre cartas

Métodos e técnicas de levantamentos topográficos 25 horas

•Grandezas e equipamentos de observação
◦Ângulos
- Ângulo azimutal
- Ângulo zenital
◦Distâncias
- Métodos directos
- Caracterização;
- Equipamentos;
- Correcção das medidas
- Métodos indirectos
- Tipos de equipamento;
- Princípio da estadimetria
- Processos electromagnéticos
◦Desníveis
- Noção de desnível
- Cota
- Altitude
•Métodos de Observação
◦Nivelamento geométrico
- Tipos de nivelamento
- Cálculo de cadernetas
◦Levantamento topográfico
- Rede de apoio topográfico e levantamento de pormenor
- Cálculo de cadernetas
- Implantação por coordenadas polares
•Rede de Apoio Topográfico
◦Relações planimétricas fundamentais
- Sistema de eixos e quadrantes topográficos
- Noção de orientação
- Cálculo e transmissão de orientações
- Transporte de coordenadas
◦Intersecções
- Tipos de intersecções
- Intersecção direta simples medindo ângulos ou lados
◦Poligonais
- Tipos de poligonais
- Levantamento de poligonais – modo de proceder

Trabalho de campo topografia arqueológica 25 horas

•Levantamentos topográficos com fita métrica e bandeirolas
◦Modos de proceder
◦Levantamento por perpendiculares
◦Triangulação à fita
•Nivelamento geométrico com recurso ao nível óptico
◦Modos de proceder
◦Nivelamentos fechados
•Levantamento topográfico com recurso ao Taqueómetro e à Estação total
◦Modos de proceder
◦Levantamento de pormenor
◦Redes de apoio topográfico

Fotografia 50 horas

•Antecedentes da câmara fotográfica e as primeiras experiências com sais de prata
•Primeiros fotógrafos
◦Progressos e retratos
◦Fotografia tradicional
◦Revolução fotográfica
•Luz
◦Comprimentos de onda do espectro electromagnético
◦Temperatura de cor das fontes de iluminação
◦Natureza da iluminação
- Luz dura
- Luz suave
◦Propriedades da luz
- Reflexão
- Transmissão
- Absorção
◦Teoria da luz/cor
◦Relação luz/sombra
◦Fontes de luz artificiais contínuas
◦Combinação de várias fontes de iluminação
◦Luz de relâmpago
•Luz matéria-prima da fotografia
•Lei do inverso do quadrado das distâncias
•Fotometragem
•Fotómetro e os fatores que determinam a exposição
•Formação de imagens na câmara escura
◦Lentes e a formação de imagens
•Materiais sensíveis à luz
•Tipos de máquinas fotográficas
◦Analógicas
◦Digitais
◦Visor directo
◦Reflex
•Objectivas
◦Anel de focagem
◦Diafragma
◦Profundidade de campo
•Tipos de objectivas
◦Normal
◦Grande angular
◦Teleobjectiva
◦Zoom
◦Macro
•Distancia focal e profundidade de campo
◦Perspectiva
◦Ângulo de visão
◦Ampliação
•O obturador
◦Tipos de obturador
◦Velocidades de obturação
◦Latitude de segurança
•Conjugação da abertura com a velocidade de obturação
•Tamanho do ccd e a resolução fotográfica digital, o tipo de compressão
•Transferência de imagens
•Aplicações para o tratamento de imagens
•Arquivo de imagens em diferentes formatos de ficheiro

Fotografia arqueológica 25 horas

•Acessórios para macro fotografia
◦Lentes macro
◦Foles e tubos de extensão
◦Lentes de aproximação
•A iluminação
◦Obliqua
◦Axial
◦Difusa
•A distância de focagem e a profundidade de campo
•Reprodução de exemplares gráficos e fotográficos
•O uso de escalas na mesa de reprodução
•A escolha de fundos
◦A disposição/interpretação dos objetos sobre os fundos
◦Composição
•As características dos objetos
•Técnicas de registo
•Fórmulas e cálculos de exposição para fotografia de aproximação
•Fotografia em contexto de escavação arqueológica
◦Escala
◦Lousa
◦Norte
◦Hora do dia
◦Distância focal
◦Perspectiva
•Registo fotográfico
◦Quadrículas
◦Estruturas
◦Espólio
◦Outros materiais de interesse arqueológico

Conservação preventiva em património cultural 25 horas

•Património cultural
◦Património e conservação
- Génese
- Evolução
- Cartas
- Convenções
◦Materiais arqueológicos
- Vulnerabilidades/resistências
- Alteração
- Agentes gerais de deterioração
- Factores de deterioração
- Condições ambientais
◾- Sistemas de registo e de controlo
◾- Mecanismos de reação e evidências
•Conservação preventiva
◦Âmbito
◦Metodologias de intervenção
◦Manutenção
◦Preservação
◦Restauro
•As reservas
◦Embalagem
◦Transporte
◦Manipulação das peças
◦Segurança e prevenção de riscos

Técnicas de registo e diagnóstico em arqueologia 25 horas

•Fichas
◦Fichas de conservação "in situ"
◦Fichas de conservação em laboratório
◦Objectivos e conteúdos
•Marcação
•Critérios e produtos
•Diagnósticos
◦Factores de degradação primários
◦Factores de degradação secundários
◦Degradação física, química, biológica e mecânica
◦Alterações da coesão ou aderência
◦A metodologia de intervenção
◦Tipos de relatório e de documentação técnica

Técnicas de limpeza e manutenção em arqueologia 25 horas

•O conceito de sujidade
◦Tipos de sujidades
- Origem
- Natureza
- Características
- Efeitos de degradação nos materiais de suporte
- Meios e recursos de identificação
•Métodos de limpeza
◦Via mecânica, húmida e mista
- Objectivos e processos de actuação
- Instrumentos e produtos
- Natureza
- Propriedades
- Campos de aplicação
- Efeitos
•Planificação
◦Critérios
◦Rotinas
◦Limites de intervenção

Ambientes e técnicas de estabilização em arqueologia 25 horas

•Ambientes de enterramento e de exposição
◦Meios encharcados
- Marinhos
- Fluviais
- Pantanosos
◦Meios enxutos
◦Meios aeróbios e anaeróbios
◦Meios oxidantes e redutores
◦Agentes naturais de deterioração e de preservação
- Oxigénio
- Água
- Ph
- Sais
- Temperatura
- Organismos e microorganismos
•Microambientes de acomodação pós-escavação, transporte e armazenamento
◦Agentes de deterioração e de preservação
- Humidade Relativa
- Temperatura
- Luz
- Organismos e microorganismos
- Arejamento e circulação de ar
•O conceito de estabilização
•Estabilidade física e estabilidade físico-química
◦Fatores de alteração
- Origens
- Processos de atuação
- Sintomatologia
- Identificação
- Meios
- Recursos
•Vias de atuação
◦Intervenção direta nos materiais
- Consolidação
- Colagem
- Fixação
- Utensílios e equipamentos
- Produtos
- Origem natural e sintética, orgânica e inorgânica
- Processos de reacção
- Campos de aplicação
- Vantagens e inconvenientes
- PlanificaçãoCritérios e limites de intervenção
◦Intervenção indireta nos materiais
- Controlo ambiental dos espaços (micro e macro-ambientes)
- Fatores ambientais
- Luz
- Humidade relativa / temperatura
- Poluição
- Ventilação
- Características e processos de atuação, e seus efeitos
- Equipamento de medição, registo e controlo dos fatores ambientais
- Planificação
- Critérios e limites de intervenção
•Técnicas de estabilização
◦Integridade física e química
◦Estabilização física e química
◦Inibição
◦Consolidação e impregnação
◦Fixação e colagem
◦Reforço e suporte

Técnicas de conservação in situ 25 horas

•Processos de conservação
◦Critérios de intervenção
◦Metodologias de trabalho
•Condições de achado e de preservação
•Identificação e registo
•Levantamento e recolha
•Acondicionamento e transporte

Técnicas de restauro em arqueologia 25 horas

•Montagem
•Colagem
•Preenchimento de lacunas
•Produtos
◦Características
◦Vantagens
◦Inconvenientes

Técnicas de conservação de ruínas arqueológicas 25 horas

•A noção de ruína
•Factores de deterioração e perda
•Procedimentos preparatórios à Conservação
◦Registo
- Inventário
◦Inspecções
- Periodicidade
- Estabelecimento de categorias de urgência
◦Documentação / Registo
- Estado de conservação
- Relatório
•Plano de intervenção
◦Manutenção
- Objectivos
- Critérios
- Estratégias
- Programação
- Manutenção preventiva
- Limpeza
- Medidas de proteção e segurança
- Gestão de recursos
- Manutenção curativa
- Rotinas

Técnicas de conservação de rochas e argamassas 25 horas

•Minerais
◦Estruturas
◦Propriedades gerais
•Rochas
◦Origens e formações
◦Texturas e estruturas
◦Composições químicas e mineralógicas
◦Classificação e descrição
•Tecnologias de extração e de trabalho
•Vulnerabilidade e agentes específicos de degradação
•Argamassas
◦Natureza
◦Composição
◦Funções
◦Campos de aplicação
◦Tipos de traço e respetivos comportamentos
•Condições de achado e de preservação
•Campos de intervenção
◦"in situ"
- Elementos isolados, decorativos ou funcionais
- Levantamento
- Recolha
- Transporte
- Elementos de colectivo; estruturas
- Limpeza
- Reconstituição
◦Em laboratório
- Identificação
- Registo
- Limpeza e estabilização física
- A acomodação em ambiente de reserva
•Produtos e processos

Técnicas de conservação de cerâmica e vidro 25 horas

•Cerâmicas
◦Definição
◦Estrutura
◦Processos de produção
◦Matérias-primas: características específicas e efeitos especiais
- Argilas
- Formação
- Constituição química
- Propriedades
- Comportamentos
- Desengordurantes
- Combustíveis
- Fundentes
◦Preparação das pastas cerâmicas
- Técnicas de fabrico de objetos cerâmicos
- Mão
- Roda de oleiro
- Molde
◦Secagem
◦Decoração, acabamentos e revestimentos
◦Cozedura
- Fornos e temperaturas
•Vidros
◦Definição
◦Estrutura
◦Processos de produção
◦Matérias-primas: características específicas e efeitos especiais
- Vitrificantes
- Fundentes
- Estabilizadores
- Opacificadores
◦Fornos e temperaturas de fusão
◦Arrefecimento
◦Operações de acabamento e decoração
•Vulnerabilidade e agentes específicos de degradação
•Condições de achado e de preservação
•Campos de intervenção
◦"In situ"
- Levantamento, recolha e transporte
◦Em laboratório
- Identificação e registo
- Limpeza, estabilização física e colagem
- A acomodação em ambiente de reserva
◦Produtos e processos

Técnicas de conservação de metais e ligas 25 horas

•Definição e estrutura
•Propriedades físicas e químicas gerais
•Ligas metálicas
◦Soluções sólidas
◦Misturas
•Ferro e ligas
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas, respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Chumbo
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas, respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Estanho
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas, respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Cobre e ligas
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas; Respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Prata
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas, respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Ouro
◦Natureza e origem
◦Processos de produção
- Matérias-primas, respetivas características e efeitos especiais
- Técnicas de fabrico
◦Processo de alteração e produtos de corrosão
•Vulnerabilidade e agentes específicos de degradação

Técnicas de conservação de mosaico e pintura mural 25 horas

•Condições de achado e de preservação
•Campos de intervenção
◦In situ
- Limpeza
- Estabilização física
- Medidas de conservação preventiva
◦Em laboratório
- Identificação e registo
- Acomodação em ambiente de reserva
•Produtos e processos

Técnicas de conservação de materiais orgânicos 25 horas

•Os materiais orgânicos nas coleções de arqueologia
◦Madeira
◦Têxteis
◦Papel
◦Peles e cabedais
◦Osso e marfim
•Condições de achado e de preservação
•Campos de intervenção
◦In situ
- Medidas de conservação preventiva com vista à sua preservação
◦Em laboratório
- Identificação e registo
- Acomodação em ambiente de reserva
•Produtos e processos

Ambiente, segurança, higiene e saúde no trabalho - conceitos básicos 25 horas

•AMBIENTE
◦Principais problemas ambientais da atualidade
◦Resíduos
- Definição
- Produção de resíduos
◦Gestão de resíduos
- Entidades gestoras de fluxos específicos de resíduos
- Estratégias de atuação
- Boas práticas para o meio ambiente
•SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO
◦CONCEITOS BÁSICOS RELACIONADOS COM A SHST
- Trabalho, saúde, segurança no trabalho, higiene no trabalho, saúde no trabalho, medicina no trabalho, ergonomia, psicossociologia do trabalho, acidente de trabalho, doença profissional, perigo, risco profissional, avaliação de riscos e prevenção
◦ENQUADRAMENTO LEGISLATIVO NACIONAL DA SHST
- Obrigações gerais do empregador e do trabalhador
◦ACIDENTES DE TRABALHO
- Conceito de acidente de trabalho
- Causas dos acidentes de trabalho
- Consequências dos acidentes de trabalho
- Custos diretos e indiretos dos acidentes de trabalho
◦DOENÇAS PROFISSIONAIS
- Conceito
- Principais doenças profissionais
◦PRINCIPAIS RISCOS PROFISSIONAIS
- Riscos biológicos
- Agentes biológicos
- Vias de entrada no organismo
- Medidas de prevenção e proteção
- Riscos Físicos (conceito, efeitos sobre a saúde, medidas de prevenção e proteção)
- Ambiente térmico
- Iluminação
- Radiações (ionizantes e não ionizantes)
- Ruído
- Vibrações
- Riscos químicos
- Produtos químicos perigosos
- Classificação dos agentes químicos quanto à sua forma
- Vias de exposição
- Efeitos na saúde
- Classificação, rotulagem e armazenagem
- Medidas de prevenção e proteção
- Riscos de incêndio ou explosão
- O fogo como reação química
- Fenomenologia da combustão
- Principais fontes de energia de ativação
- Classes de Fogos
- Métodos de extinção
- Meios de primeira intervenção - extintores
- Classificação dos Extintores
- Escolha do agente extintor
- Riscos elétricos
- Riscos de contacto com a corrente elétrica: contatos diretos e indiretos
- Efeitos da corrente elétrica sobre o corpo humano
- Medidas de prevenção e proteção
- Riscos mecânicos
- Trabalho com máquinas e equipamentos
- Movimentação mecânica de cargas
- Riscos ergonómicos
- Movimentação manual de cargas
- Riscos psicossociais
◦SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE
- Conceito
- Tipos de sinalização
◦EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA E DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
- Principais tipos de proteção coletiva e de proteção individual

Formação prática em contexto de trabalho 210h 210 horas

Realização de atividades inerentes ao exercício da atividade profissional.

Para mais informações, consultar o Guia de Orientações da Formação Prática em Contexto de Trabalho e o Guia de Orientações dos Cursos de Educação e Formação de Adultos.
Próximas Ações de Formação