Técnico/a de Geriatria

< voltar à lista
Condições de Admissão

- Idade: ≥ 23 anos
- Habilitação escolar: 9º ano de escolaridade (mínimo)
- Situação face ao emprego: Desempregados/as

Tipologia

Objetivos

A conclusão do curso com aproveitamento confere um diploma de equivalência ao Ensino Secundário (12º ano de escolaridade) e o nível 4 de formação em Técnico/a de Geriatria.



Duração

1995 horas

Código do Curso / Código UFCD

762335_EFA NS

Saídas Profissionais

O Técnico/a de Geriatria é o/a profissional que presta cuidados de apoio direto ao idoso, em contexto domiciliar e institucional, contribuindo para o seu bem-estar biopsicossocial, tendo em consideração os objetivos definidos pela equipa técnica local e os princípios deontológicos de atuação. Atividades Principais: - Prestar/ auxiliar nos cuidados de higiene, eliminação e conforto do idoso, nos diversos contextos de atuação. - Acompanhar e apoiar o idoso nas diversas atividades de vida diária. - Auxiliar os profissionais responsáveis nos cuidados de alimentação, aplicados aos idosos com dependência funcional, temporária ou permanente. - Participar no planeamento e desenvolvimento de atividades básicas de animação e entretenimento e de estimulação dos domínios cognitivo, social e motor, de acordo com as capacidades, necessidades e interesses do idoso. - Prestar cuidados de higiene e arrumação dos espaços envolventes e da roupa dos idosos. - Apoiar a equipa técnica na organização do espaço, com o objetivo de prevenir acidentes domésticos e em instituições. - Participar na prevenção de negligência, abusos e maus tratos ao idoso. - Avaliar a informação obtida através de instrumentos técnicos aplicados por especialistas, para melhor conhecimento do perfil funcional do idoso, e consequente adequada prestação de cuidados. - Estabelecer a articulação com a equipa técnica responsável, a fim de reportar a evolução do estado físico, psíquico e emocional, situações anómalas e/ ou agravamento do estado de saúde do idoso, tendo em consideração as orientações e procedimentos definidos pela equipa técnica.

Área de Formação

Trabalho Social e Orientação

Síntese programática
  • Módulo
  • Carga Horária

Portefólio Reflexivo de Aprendizagens 85 horas

Os/as formandos/as elaboram o seu PRA (Portefólio Reflexivo de Aprendizagens) com base nas aprendizagens desenvolvidas ao longo da formação, devendo o mesmo refletir e evidenciar o processo de formação do individuo, congregando os trabalhos e reflexões realizados no âmbito do seu percurso formativo, enquanto conjunto planeado, organizado e selecionado de documentos.

Liberdade e responsabilidade democráticas 50 horas

•Compromisso Cidadão/Estado
•Direitos, liberdades e garantias dos trabalhadores
•Democracia representativa e participada
•Comunidade global

Processos identitários 50 horas

•Fundamentação dos princípios de conduta na relação com “o outro”
•Papel da deontologia na construção de uma cultura organizacional
•Políticas públicas de inclusão
•Uma nova identidade europeia em construção: o papel da multiculturalidade e da diversidade

Deontologia e princípios éticos 50 horas

•Princípios fundamentais da ética
•Códigos de ética e padrões deontológicos
•Ética e desenvolvimento institucional
•Comunidade Global

Redes de informação e comunicação 50 horas

•Aspectos socio-económicos do desenvolvimento e da implementação das tecnologias da informação e da comunicação
•Elementos tecnológicos centrais que estruturam o funcionamento dos sistemas de informação e comunicação
•Conhecimentos científicos e matemáticos fundamentais para a compreensão e boa utilização das tecnologias da informação e da comunicação

Modelos de urbanismo e mobilidade 50 horas

•Processos de mudança fundamentais na geografia das populações, em particular, os intensos fluxos de migração, emigração e imigração que ocorreram no território português, desde o início do século XX
•Princípios psicológicos associados à integração e bem-estar, com enfoque nos contextos de desenvolvimento e nos processos de mudança de meio envolvente
•Conceitos fundamentais nos processos de construção do espaço de vivência (arquitetura) e de ordenamento do território
•Princípios físicos na organização e gestão do espaço habitável

Sociedade, tecnologia e ciência - fundamentos 50 horas

•Conceitos nucleares para a compreensão e desenvolvimento dos vários ramos das ciências
•Aspectos metodológicos elementares da ciência enquanto prática social e modo específico de produção de conhecimento
•Processos através dos quais a ciência se integra e participa nas sociedades
•Compreensão dos processos e conhecimentos científicos como base de um novo tipo de cultura e de desenvolvimento social

Cultura, comunicação e média 50 horas

•Novas formas e expressões de Cultura: evolução e impacto social das tecnologias de informação e comunicação
•Construção linguística da intervenção cultural e comunicacional com recurso às tecnologias de informação e comunicação
•Os média e a alteração dos processos de comunicação, intervenção e participação pública

Culturas de urbanismo e mobilidade 50 horas

•Questões culturais que envolvem o planeamento e o ordenamento do território
•A Língua como suporte indispensável à gestão e à intervenção no urbanismo e na mobilidade
•A Comunicação nos processos contemporâneos de mobilidade humana e intervenção urbanística

Fundamentos de cultura língua e comunicação 50 horas

•Uma Cultura de programação: trajetos pessoais e mudança social
•A Língua e a Literatura portuguesas no mundo como elementos de união e intervenção cívica
•Os sistemas de Comunicação na expressão do pensamento crítico, na construção da relação entre a opinião pessoal e a opinião pública

Língua estrangeira - iniciação - Inglês 50 horas

•Competências de interpretação
◦Ouvir/Ver
- Compreensão de textos simples, breves e claros relacionados com aspetos da vida quotidiana e/ou com as áreas de interesse dos adultos
- Compreensão das ideias gerais de um texto em língua corrente sobre aspetos relativos aos tempos livres, bem como a temas atuais e assuntos do interesse pessoal e/ou profissional dos adultos, quando o discurso é claro, pausado e adequado ao seu nível linguístico
- Compreensão do conteúdo informativo simples de material audiovisual (entrevista, conversa telefónica, conversa informal entre pares, outros)
◦Ler
- Compreensão de textos curtos e simples sobre assuntos do quotidiano, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Detecção de informação previsível concreta em textos simples de uso comum (conversa telefónica, entrevista, outros)
- Compreensão de textos simples em língua corrente sobre assuntos do quotidiano e relacionados com as áreas de formação e/ou atividade profissional dos adultos
- Percepção de acontecimentos relatados, assim como sentimentos e desejos expressos
- Comunicação em situações do quotidiano implicando troca de informação simples e direta sobre assuntos e atividades correntes, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Participação em conversações curtas, com recurso a vocabulário circunscrito, sem necessidade de sustentar, aprofundar ou prolongar os diálogos
- Participação, com preparação prévia, em conversas simples sobre assuntos de interesse pessoal ou geral da actualidade
•Competências de produção
◦Falar/Escrever
- Uso de frases simples e curtas para falar da família, dos outros e do seu percurso pessoal, variando o grau de complexidade dos textos de acordo com as competências evidenciadas pelos adultos
- Produção, simples e breve mas articulada, de enunciados para narrar, descrever, expor informações e pontos de vista
- Comunicação em situações do quotidiano que exigem apenas troca de informação simples e direta sobre assunto e atividades correntes
- Participação em conversações curtas, com recurso a vocabulário circunscrito, sem necessidade de sustentar, aprofundar ou prolongar os diálogos
- Participação, com preparação prévia, em conversas simples sobre assuntos de interesse pessoal ou geral da actualidade
- Escrita de textos curtos e simples relacionados com aspetos da vida quotidiana
- Escrita de textos simples e estruturados sobre assuntos conhecidos e do seu interesse
- Intervir tendo em conta que os percursos individuais são afetados pela posse de diversos recursos, incluindo competências ao nível da cultura, da língua e da comunicação
- Agir em contextos profissionais, com recurso aos saberes em cultura, língua e comunicação
- Formular opiniões críticas mobilizando saberes vários e competências culturais, linguísticas e comunicacionais
- Identificar os principais fatores que influenciam a mudança social, reconhecendo nessa mudança o papel da cultura, da língua e da comunicação.

Língua Estrangeira - continuação - Inglês 50 horas

•Competências de interpretação
◦Ouvir/Ver
◦Ler
•Competências de produção
◦Falar
◦Escrever

Envelhecimento demográfico 25 horas

•Ciclo de vida (da criança ao idoso)
◦Processo de maturação – fenómeno natural de todas as fases do ciclo de vida do ser humano
◦Maturação do sistema de valores – Pirâmide de Maslow
◦Período temporal e os aspetos que demarcam as diferentes fases do ciclo de vida
•Tendências e análise da demografia mundial
◦Dados sobre o envelhecimento demográfico mundial atual e estimativas até ao ano de 2025
◦Fatores que determinam o envelhecimento demográfico mundial
◦Repercussões sociais do envelhecimento demográfico
•Demografia Portuguesa: tendências na transição do século XX para o século XXI
◦Dados sobre o envelhecimento demográfico da população Portuguesa
◦Pirâmides etárias (comparação de diferentes anos)
◦Esperança média de vida e os fatores que contribuem para o seu aumento
◦Fatores que contribuem para o índice de envelhecimento
•Estereótipos, mitos e representações sociais da população idosa
◦Conceito de estereótipo (estereótipo positivo e negativo)
◦Mitos mais comuns sobre a população idosa
◦Atitudes negativas mais comuns para com a pessoa idosa (gerontofobia, idadismo e infantilização, p.e.)
•Barreiras e facilitadores atitudinais
•Ajustamentos psicossociais nos idosos
◦Ajustamento pessoal e social
◦Fatores que influenciam os ajustamentos psicossociais
◦Funcionamento psicológico – fatores para um bom funcionamento
◦Tarefas evolutivas

Contextos de prestação de cuidados ao idoso - domicílio, residências autónomas e centros de dia 25 horas

•Principais objetivos a trabalhar no idoso nos contextos
◦Apoio domiciliário
◦Centros de dia
◦Residências autónomas
•Estratégias de intervenção e técnicas de apoio no domicílio
•Redes de apoio – Modelo ecológico de Bronfenbrenner
•Prestadores de cuidados (resposta social informal) dos idosos
◦Prestadores principais e secundários de cuidados
◦Diferenças nos apoios entre a família e os amigos
◦Papel do prestador de cuidados secundários
•Resposta social formal vs resposta social informal
◦Idoso no seu domicílio e o idoso fora do seu domicílio
◦Modelos de relação entre a rede social formal e informal

Contextos de prestação de cuidados ao idoso - lares e instituições de saúde 25 horas

•Principais objetivos a trabalhar no idoso nos contextos
◦Lares de idosos
◦Instituições de saúde
•Estratégias de intervenção e técnicas de apoio em instituições (de saúde e em lares de idosos)
•Processo de inclusão/integração social do idoso na rede social formal
◦Principais dificuldades do processo
◦Estratégias facilitadoras do processo
◦Importância dos estilos de vida
◦Estabelecimento de objetivos de vida
•Institucionalização
◦Causas da institucionalização
◦Vantagens e as consequências da institucionalização
◦Ambiente institucional
◦Rotinas nas instituições
•Hospitalização
◦Consequências e benefícios da hospitalização
◦Hospitalização como fonte de stress
◦Aspetos a ter em conta para reduzir as consequências da hospitalização
◦Hospitalização e a autonomia
◦Ações a desenvolver para melhorar a autonomia do idoso hospitalizado

Ética e deontologia em geriatria 50 horas

•Perfil do técnico de ação direta em geriatria
◦Qualidades do técnico em geriatria
◦A relação humana que o técnico deve estabelecer com o idoso
◦Funções do técnico de ação direta em geriatria
◦Importância da resiliência nos técnicos de geriatria

•Fatores associados ao comportamento social e emocional do técnico
◦Fatores que influenciam o comportamento social e emocional
◦Aspetos da linguagem que se devem ter sempre em conta na relação com um idoso
◦Aspetos atitudinais que se devem ter em conta na relação com um idoso

•Apresentação pessoal e higiene do técnico de ação direta em geriatria
◦Higiene e o arranjo pessoal do técnico
◦Higiene dos instrumentos de trabalho (farda, calçado, entre outros)
◦Apresentação pessoal do técnico

•Ética e Deontologia
◦Conceitos de ética e deontologia
◦Alguns aspetos inerentes à ética e deontologia (responsabilidade, sigilo profissional…)
•Código deontológico do técnico de ação direta em geriatria
◦Direitos e deveres do técnico
•Atos e ações corretas e incorretas
◦Atos lícitos e ilícitos
◦Atos legítimos e ilegítimos
◦Sanções

•Princípios e valores
◦Principais princípios no trabalho em geriatria (competência, responsabilidade, integridade e respeito pelos direitos e dignidade da pessoa)
◦Principais valores a defender na prática em geriatria
•Técnicas de resolução de conflitos
◦Técnicas que se devem usar (deliberação e persuasão – em casos extremos)
◦Técnicas que nunca se devem usar (manipulação e coersão)

•Comportamento do técnico face às barreiras atitudinais do idoso
◦Barreiras atitudinais do idoso
◦Role-play de situações problema

•Direitos humanos dos idosos
◦Direito à independência
◦Direito à participação
◦Direito à assistência
◦Direito à autorrealização
◦Direito à dignidade

•Protocolo de atuação em caso de deteção de casos de maus tratos
•Competências valorizadas pelos empregadores - transferíveis entre os diferentes contextos laborais
◦Competências relacionais
◦Competências criativas
◦Competências de gestão do tempo
◦Competências de gestão da informação
◦Competências de tomada de decisão
◦Competências de aprendizagem (aprendizagem ao longo da vida)

•Pesquisa de informação para procura de emprego
•Curriculum vitae
•Candidatura espontânea
•Entrevista de emprego

Técnicas e estratégias de comunicação e observação nos contextos de intervenção com a população idosa 50 horas

•Noção de comunicação e estratégias comunicacionais
◦Processo de comunicação
◦Os dois níveis de comunicação
◦Comunicação com os idosos – o que se deve e o que não se deve dizer
◦Estratégias de comunicação com os idosos
•Barreiras à comunicação com a população idosa
◦Principais barreiras à comunicação
◦Formas de eliminação/atenuação de barreiras
◦Criação de facilitadores comunicacionais
•Comunicação verbal e não-verbal com a população idosa
◦Comunicação verbal – tipos (oral e escrita), características e funções
◦Comunicação não-verbal – características e funções
◦Exploração de atividades nestes dois níveis
◦Interação com pessoas com problemas de comunicação e com deficiência
•Transmissão de notícias: boas e más
◦Competências de relacionamento interpessoal
◦Papel das emoções no comportamento social
◦Comunicação na interação com pessoas com alterações comportamentais (agressividade e agitação)
◦Comunicar de forma assertiva
•Processo de observação
◦Observação e comunicação não-verbal
◦Aspetos a observar no idoso
◦Forma e a postura correta de observação
◦Principais contextos de observação
•Tipos de observação – escuta ativa (características e aplicação prática) da:
◦Observação direta
◦Observação indireta
◦Observação participante
◦Observação não-participante
◦Observação aberta
◦Observação fechada
•Checklist de observação adequada ao contexto a avaliar
◦Criação e aplicação de uma cheklist de observação

Métodos de intervenção familiar – contexto do idoso 25 horas

•Composição e estrutura da família
◦As diferentes composições e estruturas da família
◦Composição e características familiares e o nível de atenção dado ao idoso
•Família do idoso com deficiência
◦Fatores de risco (social e comunitário)
◦Prevenção da negligência
◦Abuso e maus tratos à pessoa com deficiência
•Interação e funcionamento familiar
◦Sistemas familiares funcionais e disfuncionais – APGAR de Família
◦Violência intrafamiliar e maus tratos ao idoso
◦Esquemas de assistência às famílias em risco
•Funções da família
◦Prover e o cuidar (papéis familiares)
◦Declínio das funções familiares dos idosos
•Necessidades e recursos da família
◦Principais necessidades de uma família que assiste e presta cuidados a um idoso
◦Levantamento dos recursos comunitários disponíveis à família
◦Ecomapa
•Stress familiar
◦Processo de cuidar de um idoso – fator de stress
◦Análise do stress familiar – instrumento de avaliação (análise da sobrecarga dos cuidadores)

Adaptação/ modificação de contextos e materiais em função do idoso 25 horas

•Barreiras arquitetónicas e tecnológicas – implicações na funcionalidade do idoso
◦Barreiras arquitetónicas e tecnológicas – características
◦Barreiras arquitetónicas e tecnológicas consoante o problema de cada idoso (problemas físicos, intelectuais, entre outros)
◦Levantamento das barreiras arquitetónicas e tecnológicas
◦CIF (Classificação Internacional de Funcionalidade)
•Higiene e segurança
◦Limpeza das instalações (dependendo do local – quarto, cozinha, instalações sanitárias…)
◦Organização do espaço (prevenção de acidentes – potenciação da capacidade de adaptação do idoso – economização de energia)
•Acidentes e quedas na população idosa
◦Contextos e acidentes/quedas
◦Intoxicações na população idosa
•Ergonomia
◦Conceito e relação com a população idosa
◦Adaptações ergonómicas
•Utilização de ajudas técnicas de apoio à mobilização e marcha e suas funções:
◦Andarilho
◦Canadianas
◦Bengalas e pirâmides
◦Muletas e auxiliares
◦Cadeira de rodas
•Tecnologias de apoio e ajudas técnicas para a pessoa idosa com:
◦Deficiência motora
◦Deficiência visual
◦Problemas de comunicação
◦Dificuldade intelectual e desenvolvimental (deficiência mental)
•Avaliação e modificação do ambiente

Tipos de envelhecimento 25 horas

•Definição de envelhecimento
◦Teorias sobre o envelhecimento
- Teoria da morte programada
- Teoria da mutação-acumulação
- Outras teorias
◦Envelhecimento: autonomia, incapacidade e dependência
•Padrões de envelhecimento:
◦Reorganizadores
◦Focalizados
◦Persistentes
◦Restringidos
◦Apoiados
◦Apáticos
◦Desorganizados
•Envelhecimento normal e patológico:
◦Características
◦Envelhecimento ativo
•Envelhecimento psicológico e biológico
◦Teorias sobre o envelhecimento biológico
- Teoria do telómero
- Teoria do envelhecimento da mutação somática
- Teoria do envelhecimento autoimune
◦Aspetos socio emocionais
- Satisfação e adaptação
- Sinais preocupantes nos idosos
- Principais transtornos afetivo-relacionais no idoso
◦Personalidade no envelhecimento
◦Ajustamento psicossocial no idoso
•Atividades para a promoção de um envelhecimento ativo

Introdução à patologia no idoso 25 horas

•Saúde
◦Definição de saúde segundo a OMS
◦Perspetiva triangular (social, mental e física)
◦Fatores que influenciam a saúde da pessoa idosa
•Doença e as suas fases
◦O conceito de doença
◦Sintoma, sinal e síndrome
◦Aguda – Características e formas de intervenção
◦Convalescença – Características e formas de intervenção
◦Restauração – Características e formas de intervenção
•Qualidade de vida
◦Definição de qualidade de vida segundo a OMS
◦Os aspetos relacionados com a qualidade de vida
- Biológicos
- Sociais
- Médicos
- Económicos
- Políticos
◦As duas esferas da qualidade de vida
- Esfera objetiva
- Esfera subjetiva
◦Escala de avaliação da qualidade de vida – World Health Organization Quality of Life Assesment (WHOQOL-100) OMS
•Promoção da saúde e prevenção da doença
◦Responsabilidade pessoal
◦Atividade física
◦Nutrição adequada
◦Adaptação ao stress
◦Organização do ambiente
◦Vacinação
◦Higiene corporal
◦Prevenção de acidentes
•O processo de administração de medicamentos / vacinas
◦Os principais grupos de fármacos utilizados na população idosa
◦A automedicação nos idosos
•Avaliação morfológica do idoso
◦Estatura
◦Massa
◦Índice de Massa Corporal (IMC)

Patologias na população idosa - cardiorrespiratória e neuro sensoriais 50 horas

•Patologia cardiovascular
◦Sistema cardiovascular envelhecido
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Angina de peito
- Enfarte agudo do miocárdio
- Acidente vascular cerebral
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas cardiovasculares
•Patologia respiratória
◦Sistema respiratório envelhecido
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)
- Infeções respiratórias
- Traqueostomias
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas respiratórios
•Patologia hematológica
◦Constituintes do sangue e o envelhecimento
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Anemia
- Leucemia
- Hemofilia
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas hematológicos
•Patologia neoplásicas
◦Envelhecimento e a proliferação celular
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Tumores benignos e malignos
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas oncológicos
•Patologia neurológica
◦O cérebro e o envelhecimento
◦As suas causas
◦Principais patologias:
- Alzheimer
- Alterações cerebrais no Alzheimer
- Sinais de alerta
- Parkinson
- Sinais/sintomas
- A marcha Parkinsónica
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas neurológicos
•Patologia sensorial
◦Visão
◦Audição
◦Paladar, olfato e tato
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas sensoriais

Patologias na população idosa - gastrointestinais, endocrinológicas, genito-urinárias, musculoesqueléticas, dermatológicas e crónicas 50 horas

•Patologia gastrointestinal e dos órgãos anexos
◦Sistema gastrointestinal da população idosa
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias
- Refluxo gastro-esofágico
- Obstipação
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas gastrointestinais
•Patologia endocrinológica e metabólica
◦Sistema endócrino e metabólico envelhecido
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Hipertiroidismo
- Hipotiroidismo
- Gota
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas endócrinos e metabólicos
•Patologia genito-urinária
◦Modificações do sistema genito-urinário na população idosa
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Insuficiência renal
- Incontinência
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas genito-urinários
•Patologia musculoesquelética
◦Alterações musculares e ósseas no idoso
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Artrite reumatoide
- Osteoporose
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas musculares e ósseas
•Patologia dermatológica
◦A pele e o envelhecimento
◦Fatores de risco
◦Sintomas
◦Principais patologias:
- Dermatite de contacto
- Micoses
- Parasitoses
- Cancro da pele
- Psoríase
- Úlceras de pressão
- Definição, causas e sintomas
- Locais privilegiados para a ocorrência de uma úlcera de pressão
- Fases da úlcera de pressão
- Cuidados a ter com a pele (idoso acamado e numa cadeira de rodas)
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas dermatológicos
•Patologias crónicas
◦Doenças crónicas e a população idosa
◦Fatores de risco
◦Principais patologias:
- Diabetes
- Colesterol
- Hipertensão arterial
◦Atividades adaptadas aos idosos com problemas crónicos

Reabilitação geriátrica 25 horas

•Papel do técnico de geriatria no acompanhamento do idoso sedentário e com necessidade de reabilitação
•Mobilidade e exercício físico
◦Efeitos da imobilidade
◦Exercício físico na população idosa
◦A importância do exercício físico em diferentes patologias
•Reabilitação das patologias cardiovascular e respiratória
◦Atividades básicas no acompanhamento ao idoso com problemas respiratórios
◦Benefícios da reeducação respiratória nos idosos
◦Atividades básicas no acompanhamento ao idoso com problemas cardíacos e vasculares
◦Programas de reabilitação cardiovascular
•Reabilitação das patologias músculo-esqueléticas
◦Fortalecimento muscular nos problemas músculo-esqueléticos
◦Atividades básicas no acompanhamento ao idoso, consoante o seu problema músculo-esquelético
•Reabilitação nas patologias neurológicas – Plasticidade cerebral: a recuperação em função da idade
◦Plasticidade cerebral consoante a idade dos indivíduos
◦Capacidade funcional: recuperação ou manutenção
◦Atividades básicas no acompanhamento ao idoso, consoante o seu problema neurológico

Prevenção e primeiros socorros - geriatria 50 horas

•Úlceras de pressão
◦Conceito de úlcera de pressão
◦Processo de desenvolvimento
◦Classificação
◦Factores de risco
◦Cuidados com a pele
◦Posicionamento
◦Transporte e manipulação do idoso
•Risco de acidente
◦Quedas
◦Intoxicações
◦Atropelamentos
◦Incêndios
•Isolamento e imobilidade
◦Envelhecimento físico e psicológico
◦Sedentarismo/desporto
◦Hábitos culturais/animação
◦Exercício físico e mobilidade
◦Patologias várias
- Hipertensão arterial
- Diabetes
- Arterial
- Diabetes
•Primeiros socorros
◦Primeiros socorros
- Asfixia
- Hemorragia
- Traumatismo
- Fracturas
- Queimaduras
- Reanimação cardiorrespiratória

Nutrição e diatética no idoso 25 horas

•Roda dos alimentos: grupos alimentares e sua composição
◦Adaptação da roda dos alimentos à população idosa
◦Análise de recomendações que vão além da roda dos alimentos
•Nutrientes
◦Proteínas
◦Lípidos
◦Glícidos
◦Vitaminas
◦Fibras
◦Sais-minerais
◦Água
•Alimentação saudável
◦Diversidade de alimentos
◦Horários
◦Número de refeições
◦Quantidade de alimento
◦O consumo de água
◦Alimentos a privilegiar e a evitar
•Necessidades nutricionais
◦Determinantes do estado nutricional da pessoa idosa
◦Possíveis limitações dos idosos na alimentação:
- Problemas de mastigação
- Problemas de deglutição
- Tabaco e bebidas alcoólicas
- Medicamentos
◦Alterações fisiológicas do envelhecimento e respetivo impacto nas necessidades energéticas
◦Défice de vitaminas e minerais no envelhecimento e suas consequências
•Patologias nutricionais
◦Desnutrição e malnutrição
◦Desidratação
◦Obesidade
◦Anorexia
◦Doença celíaca
◦Fenilcetonúria
◦Intolerância à lactose
◦Alterações gastrointestinais
◦Diabetes
◦Hipertensão
◦Alergia à proteína do leite
•Elaboração de ementas segundo as necessidades nutricionais do idoso

Higiene do idoso 25 horas

•Cuidados de higiene totais e parciais
◦Importância da higiene
◦Higiene do idoso segundo os graus de dependência:
- Independente
- Semi-dependente
- Dependente
◦Aspetos relacionais e do cuidado na higiene – o papel do cuidador
◦Cuidados parciais vs cuidados totais
◦Etapas de higiene
- Preparação do material
- Etapa do banho no chuveiro
- Etapa do banho na cama
- Técnicas de transporte
- Manobras para trocar o idoso de posição (idosos acamados)
◦Conforto do idoso
- Cama articulada
- Cama simples
◦Cuidados de eliminação

Sexualidade na 3ª idade 25 horas

•Importância da sexualidade na 3ª idade
◦Sexualidade segundo a perspetiva dos idosos
◦Sexualidade segundo a perspetiva da sociedade
◦Estratégias para abordar a sexualidade nos idosos
•Fatores físicos que influenciam a sexualidade no idoso
◦Mudanças na mulher
◦Mudanças no homem
◦Efeitos das doenças
•Fatores psicológicos que influenciam a sexualidade no idoso
◦Principais problemas psicológicos segundo o género
◦Principais alterações emocionais segundo o género
•Disfunções sexuais
◦Principais disfunções sexuais na mulher
◦Principais disfunções sexuais no homem
•Infeções sexualmente transmissíveis
◦Causas para o aparecimento das infeções sexualmente transmissíveis nos idosos
◦Principais infeções sexualmente transmissíveis na mulher
◦Principais infeções sexualmente transmissíveis no homem
•O VIH/SIDA na terceira idade

Idosos em fase terminal – cuidados paliativos 25 horas

•Definição de cuidados paliativos
◦Alicerces dos cuidados paliativos
◦Necessidades de um idoso com doença terminal
◦Sentimentos dos doentes em fase terminal e dos seus familiares
•Sintomas mais comuns do idoso em fase terminal:
◦Dor
◦Dispneia
◦Vómitos e náuseas
◦Obstipação
◦Anorexia
◦Depressão
•Papel do técnico de ação direta em geriatria, nos cuidados paliativos
◦Posição do técnico de geriatria
◦Comunicação neste tipo de panorama
◦Questões mais frequentemente levantadas pelos idosos
◦Momento de reflexão sobre a vida
•Análise da informação proveniente de um instrumento de avaliação para a obtenção das principais necessidades dos doentes paliativos
•Técnicas de intervenção no idoso em estado terminal

Términus da vida do idoso - morte 25 horas

•A morte
◦Critérios de análise para verificação do óbito
◦A morte do outro e a própria morte
◦Representação da morte
•Atitudes perante a morte
◦Recusa
◦Cólera
◦Negociação
◦Depressão
◦Aceitação
•Importância de proporcionar uma morte digna
•Processo de luto
◦Diferentes tipos de luto
◦Sentimentos no processo de luto
◦Pensamentos habituais no processo de luto
◦Tarefas para ultrapassar o processo de luto
•O técnico de geriatria e a morte
◦Papel do técnico de geriatria no processo de luto e no acompanhamento de um idoso em fase terminal
◦Meios para reforçar o sentido de vida nos idosos
- Reminiscência
- Compromisso
- Otimismo
- Religião

Funções cognitivas no idoso 25 horas

•Tipos de memória
•Fatores que influenciam a capacidade de memorização
•Características das modificações na memória
•Atenção
◦Modificações na atenção (visual e auditiva)
◦Tarefa de escuta dicotómica
•Aprendizagem
◦Características das modificações na aprendizagem
◦Aprendizagem e características da tarefa
•Inteligência
◦Inteligência conceptual
◦Inteligência prática
◦Inteligência social
◦Fatores que influenciam a capacidade intelectual
•Resolução de problemas
◦Identificação e estratégias de resolução de problemas
◦Análise dos principais problemas quotidianos do idoso
◦A importância da capacidade de resiliência
◦Atividades práticas exemplificativas
•Criatividade
◦A importância do estímulo da criatividade para a memória
◦A influência da criatividade na autoestima do idoso
•Análise de escalas de avaliação das funções cognitivas
•Estimulação e treino cognitivo
◦A importância da estimulação e treino cognitivo
◦Exemplos de instrumentos
◦Planificação de atividades básicas de estimulação cognitiva

Psicopatologias no idoso - perturbações do humor, ansiedade, somatoformes, personalidade, esquizofrenia e demências 50 horas

•Perturbações do humor
◦Tipos e principais características
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s (Atividades de vida Diárias) do idoso
◦Preparação de atividades básicas, em função das características
•Perturbações da ansiedade
◦Tipos e principais características
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s do idoso
◦Análise de possíveis estratégias a utilizar durante o acompanhamento ao idoso
•Perturbações somatoformes
◦Tipos e principais características
◦Análise de possíveis estratégias a utilizar durante o acompanhamento ao idoso
•Perturbações da personalidade
◦Tipos e principais características
◦Impacto nas relações interpessoais
◦Análise de possíveis estratégias a utilizar durante o acompanhamento ao idoso
•Esquizofrenia
◦Tipos e principais características
◦Análise de possíveis estratégias a utilizar durante o acompanhamento ao idoso
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s do idoso
◦Acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
•Demências (Alzheimer, Parkinson e Mistas)
◦Principais características das demências
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s do idoso
◦Acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
◦O papel do técnico na preparação de atividades básicas, no âmbito do acompanhamento do idoso

Psicopatologias no idoso – perturbações do sono, alimentares e utilização de substâncias 25 horas

•Perturbações do comportamento alimentar
◦Tipos e principais características
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s do idoso
◦Acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
•Perturbações pela utilização de substâncias
◦Sinais e consequências
◦Impacto na funcionalidade e nas AVD’s do idoso
◦Acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
•Perturbações do sono
◦Fases do ciclo do sono
◦Funções do sono
◦Características do sono da pessoa idosa
◦Importância do sono e do repouso para o idoso
◦Fatores que influenciam a qualidade do sono
◦Modificações na quantidade e qualidade do sono, e seu impacto na vida do idoso

Perturbações do desenvolvimento no idoso - autismo, deficiência visual e auditiva 50 horas

•Modelo do funcionamento humano
◦Habilidades intelectuais
◦Comportamento adaptativo
◦Saúde
◦Participação
◦Contexto
•Atitude face à pessoa com perturbação do desenvolvimento
◦Atitudes e comportamentos
- Atitude cognitiva, afetiva e comportamental
◦Estereótipos
◦Preconceito
- Fatores sociais, emocionais e cognitivos
◦A discriminação
- Direta
- Indireta
- Assédio e retaliação
- Positiva vs negativa
◦Sensibilização
◦Aceitação e assertividade
•O idoso com perturbações do desenvolvimento (PD):
◦Autismo
- Características
- O papel do técnico de geriatria no acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
- Estratégias a utilizar no acompanhamento do idoso com autismo: na interação e na gestão e contenção comportamental
◦Deficiência visual
- Características
- Orientação e mobilidade: o papel do técnico de geriatria no acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
◦Deficiência auditiva
- Características
- O papel do técnico de geriatria no acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
•Métodos e técnicas de acompanhamento com o idoso com Autismo, Deficiência Visual e Auditiva
•Análise dos parâmetros da escala de intensidade de apoios (ECA - Escala do Comportamento Adaptativo), para compreensão do perfil e intensidade dos apoios necessários do idoso com PD, e prestação de um acompanhamento adequado

Perturbações do desenvolvimento no idoso - DID, deficiência motora e multideficiência 25 horas

•O idoso com perturbações do desenvolvimento
◦Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental (DID)
- Natureza mutlifatorial da etiologia
- Processos biológicos
- Interação social e familiar (social)
- Fatores comportamental
- Fatores educacionais e culturais
- Características gerais da DID, ao nível:
- Cognitivo
- Linguagem
- Psicomotor
- Social.
- Papel do Técnico de Geriatria no acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
◦Deficiência motora
- Tipos de patologias que conduzem à deficiência motora
- Características e limitações subsequentes
- O papel do técnico de geriatria no acompanhamento e monitorização do idoso, nas AVD’s
◦Multideficiência
- Definição e exemplos
•Prevenção da negligência, abusos e maus tratos do idoso com PD
•Registo e transmissão de ocorrências
•Redes de apoio – Modelo ecológico de Bronfenbrenner
•Métodos e técnicas de acompanhamento com idosos com DID, Deficiência Motora e Multideficiência
•Comportamento adaptativo: análise dos parâmetros da escala de avaliação do comportamento adaptativo (ECA) para a prestação de um acompanhamento adequado
•Classificação internacional de funcionalidade (CIF), incapacidade e saúde

Autonomia, independência e funcionalidade do idoso 25 horas

•Autonomia
◦Independência de ação
◦Independência do discurso
◦Independência do pensamento
•Capacidade de adaptação
◦Adaptação do espaço envolvente
◦A adaptação do técnico de geriatria aos idosos
◦Estratégias de adaptação de atividades em função da funcionalidade dos idosos
•Dependência/independência
◦Análise do grau de dependência dos idosos, tendo em consideração a informação obtida, para um melhor acompanhamento do idoso, consoante as tarefas que conseguem executar - Atividades Básicas de Vida Diária - o Índice de Barthel.
•Análise funcional do idoso

Atividades recreativas e de lazer com idosos 25 horas

•Metodologias de planificação de atividades
◦Nome da atividade
◦População-alvo
◦Objetivos
◦Materiais
◦Descrição da atividade
◦Duração
•Principais objetivos a trabalhar a nível relacional e socio-ocupacional com a população idosa
•Acompanhamento do idoso nas atividades ocupacionais e de lazer
•Atividades recreativas e de lazer com idosos
◦Impacto nas dimensões do bem-estar humano
◦Benefícios ao nível da saúde
◦As 5 componentes essenciais das atividades de recreação e lazer
•Jogos tradicionais

Técnicas de expressão corporal com população idosa 50 horas

•Os ritmos (biológicos e temporais)
•Expressão e jogo musical adaptados ao idoso
◦Preparação de jogos de expressão corporal e musical adaptados ao idoso
•Atividades de expressão corporal e dança
◦Dança livre
◦A dança segundo as necessidades físicas, psicológicas e/ou fisiológicas
◦Benefícios da dança e expressão corporal
◦Papel da música
•O corpo e as sensações na relação intra e inter pessoal, com os objetos, espaço e tempo
•Análise e verificação dos progressos – escala de avaliação

Atividade psicomotora com população idosa 50 horas

•Isolamento e imobilidade
◦Consequências físicas e psicossociais
•Principais problemas motores no idoso
◦Força
◦Resistência
◦Flexibilidade
◦Velocidade
◦Amplitude de movimentos
•Principais problemas psicomotores dos idosos
◦Tónus
◦Equilibração
◦Lateralização
◦Esquema corporal e imagem corporal
◦Organização espácio-temporal
◦Coordenação motora
◦Motricidade fina
•Aspetos psicomotores no envelhecimento normal e patológico
•Atividades motoras/físicas a implementar com a população idosa
◦Preparar atividades motoras básicas em função das necessidades dos idosos
◦Acompanhamento dos idosos na prática psicomotora
•Atividades de estimulação sensorial nos idosos
◦Estimulação visual
◦Estimulação propriocetiva
◦Estimulação auditiva
◦Estimulação olfativa
◦Estimulação gustativa

Terapia ocupacional com população idosa 50 horas

•Potenciação da vida social, cívica e comunitária do idoso
•Acompanhamento e treino das AVD’s (Atividades de Vida Diária) com o idoso
◦Alimentação
◦Higiene e cuidados pessoais
◦Vestir/ despir
◦Mobilidade funcional
•Acompanhamento e treino de atividades produtivas com o idoso
◦Atividades artesanais
◦Atividades criativas
◦Atividades instrumentais da vida diária
•Análise da informação que se pode obter através de instrumentos de avaliação
•Trabalho de campo

Técnicas de animação aplicadas à população idosa 50 horas

•Definição de animação
•Tipos de animação
◦Cultural, educativa, económica e social
•Técnicas de animação
◦Recorte
◦Colagem
◦Estampagem
◦Modelagem
◦Pintura
◦Desenho
◦Teatro
◦Jogos pedagógicos
◦Dança
◦Literatura
◦Visitas e passeios
◦Culinária
◦Jogos de mesa
◦Costura, bordados e tricô
◦Tarefas agrícolas
◦Jardinagem
◦Debates de notícias
◦Visualização de filmes
•Objetivos e metas a alcançar na animação sociocultural com idosos
•Regras gerais na animação de idosos
•Importância da motivação na animação sociocultural
•Benefícios da animação na autoestima, autoconfiança e autoeficácia do idoso
•Acompanhamento dos idosos nas atividades de animação sociocultural com idosos

Expressão dramática aplicada à população idosa 25 horas

•Dramaterapia
◦Benefícios de uma intervenção com base no drama com população idosa
•Psicodrama e sociodrama
◦Objetivos do psicodrama
◦Instrumentos do psicodrama
◦Técnicas do psicodrama
◦Sociodrama
◦Técnicas do sociodrama
◦Diferenças entre o psicodrama e o sociodrama
•Role-play com população idosa
◦Prática comportamental
◦Técnicas aplicadas no role-play de situações
•Experimentação e análise das técnicas de dramaterapia, psicodrama, sociodrama e role-play com população idosa
•Análise dos possíveis usos das técnicas de expressão dramática na população idosa

Métodos de relaxação aplicados à população idosa 25 horas

•Relaxação criativa
◦Funcionamento desarmonioso do idoso
◦Benefícios
◦Métodos usados na relaxação criativa para alcançar os objetivos
◦Experimentação do método
•Reeducação psicosensorial
◦Objetivos
◦Fases
◦Experimentação do método
•Relaxação ativa
◦Importância do movimento na obtenção de um estado de relaxação
◦Objetivos
◦Experimentação do método
•Pilates
◦Reeducação postural
◦Princípios
◦Objetivos
◦Benefícios
◦Conceitos fundamentais
◦Experimentação do método
•Técnicas de massagem
◦Objetivos
◦Benefícios
◦Experimentação do método
•Snoezelen
◦Constituintes de uma sala de snoezelen e suas funções
◦Snoezelen e integração sensorial
◦Objetivos
◦Benefícios
◦Implicação do snoezelen em algumas patologias: dor aguda e crónica, acidente vascular cerebral, entre outras
◦Implicação do snoezelen no idoso com problemas psiquiátricos, deficiência cognitiva, deficiência motora e alterações sensoriais
•Papel do Técnico de Geriatria no acompanhamento do idoso nas atividades de relaxação

Arte como terapia aplicada à população idosa 25 horas

•O que é arte terapia
•A arte terapia aplicada a idosos
◦Expressão e criação
◦Criatividade
◦Objetivos pessoais e sociais
•As técnicas em arte terapia
◦Desenho
◦Pintura
◦Modelagem
◦Recortes e colagens
◦Gravura em tecidos
◦Tecelagem
◦Costura
◦Bordados
◦Tapeçaria
•Os materiais em arte terapia
◦Papel, telas, lápis de cor/ cera, tintas (acrílicas, de óleo, de água, guaches, aguarelas, digitintas), pincéis, canetas de filtro, gesso ou barro, plasticina, tesouras, cola, entre outros.
•Arte terapia e resiliência
•Arte terapia e integração social
•Acompanhamento do idoso nas atividades de arte terapia
•Compreensão de alguns determinantes nos trabalhos de arte terapia

Estimulação cognitiva e aprendizagem no idoso 25 horas

•Aprendizagem como fator promotor do desenvolvimento pessoal
•Aprendizagem ao longo da vida
◦Papel das Universidades Sénior (US)
◦Atividades desenvolvidas nas US
◦Importância das US na qualidade de vida do idoso
•Atividades educativas para o idoso
◦Leitura
◦Escrita
◦Matemática funcional
◦Aprendizagem de instrumentos musicais
◦Grupos corais
◦Aprendizagens de línguas não materna
◦Ginástica
◦Informática
◦Lavores
◦Outras atividades
•Tecnologias da informação e comunicação (TIC)
◦Papel das redes sociais na vida do idoso
◦Perigos das TIC na população idosa
◦Softwares de estimulação e aprendizagem
•Ensino da leitura e escrita nos idosos (alfabetização)

Higiene e segurança alimentar 25 horas

•Noções de microbiologia
•Noções de higiene
•Conservação e armazenamento de géneros alimentícios
•Noções de limpeza e desinfecção
•Introdução à aplicação do APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controlo)

Desenvolvimento pessoal e técnicas de procura de emprego 25 horas

•Conceitos de competência, transferibilidade e contextos de aprendizagem (formal e informal) – aplicação destes conceitos na compreensão da sua história de vida, identificação e valorização das competências adquiridas
•Atitude empreendedora/proactiva
•Competências valorizadas pelos empregadores - transferíveis entre os diferentes contextos laborais
◦Competências relacionais
◦Competências criativas
◦Competências de gestão do tempo
◦Competências de gestão da informação
◦Competências de tomada de decisão
◦Competências de aprendizagem (aprendizagem ao longo da vida)
•Modalidades de trabalho
•Mercado de trabalho visível e encoberto
•Pesquisa de informação para procura de emprego
•Medidas ativas de emprego e formação
•Mobilidade geográfica (mercado de trabalho nacional, comunitário e extracomunitário)
•Rede de contactos (sociais ou relacionais)
•Curriculum vitae
•Anúncios de emprego
•Candidatura espontânea
•Entrevista de emprego

Formação prática em contexto de trabalho 210h 210 horas

Realização de atividades inerentes ao exercício da atividade profissional.

Para mais informações, consultar o Guia de Orientações da Formação Prática em Contexto de Trabalho e o Guia de Orientações dos Cursos de Educação e Formação de Adultos.
Próximas Ações de Formação